Bem Vindo

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

A Floresta que se move : Tragédia Macbeth - William Shakeapeare - Ana Paula Arósio - Lady Macbeth

Macbeth é o principal personagem da tragédia Macbeth (c. 1603-1606), de William Shakespeare.


O personagem está baseado em um rei histórico, Macbeth da Escócia (m. 1057), que aparece retratado nas Crônicas da Inglaterra, Escócia e Irlanda (1587), a principal fonte de Shakespeare para suas obras históricas.

Na peça, Macbeth é um bravo nobre escocês que, incitado por sua esposa Lady Macbeth, assassina o rei Duncan e toma seu trono. Seu reinado, porém, é marcado pela desconfiança e medo. No final, Macbeth é derrotado e morto por Macduff, barão (thane) de Fife, e o filho de Duncan, Malcolm, é levado ao trono da Escócia.

Lady Macbeth é um dos principais personagens da tragédia Macbeth, escrita pelo dramaturgo inglês William Shakespeare c. 1603-1606. Ela é a esposa do protagonista da obra, o nobre escocês Macbeth. Após convencê-lo a matar o rei Duncan, o casal Macbeth torna-se rei e rainha da Escócia, mas ela acaba severamente atormentada pela culpa. Morre na parte final da obra, aparentemente por suicídio.


Historicamente, o rei Macbeth da Escócia (1005-1057) sucedeu Duncan I após vencê-lo numa batalha ou instigar seu assassinato. Sua segunda mulher foi Gruoch, nascida por volta de 1005 de família nobre, cujo primeiro marido, Gillecomgain, morreu num incidente em que Macbeth também poderia haver estado envolvido. Em algum momento na história - talvez fruto da tradição oral - Gruoch/Lady Macbeth passou a ser considerada uma personagem sinistra, que incitou o assassinato de Duncan por Macbeth. Shakespeare tomou contato com essa tradição através das Crônicas da Inglaterra, Escócia e Irlanda (1587), uma obra historiográfica sobre as Ilhas Britânicas compilada inicialmente por Raphael Holinshed, em que a esposa de Macbeth é retratada como uma mulher ambiciosa e sem escrúpulos, que impulsa seu marido a cometer o crime. Outra possível influência é o Livro das Crônicas da Escócia (c. 1535), de William Stewart, versão em verso da História do Povo Escocês de Hector Boece.

No mundo anglófono, o papel foi desempenhado ao longo do tempo por várias atrizes notáveis, incluindo Sarah Siddons, Helen Faucit, Ellen Terry, Vivien Leigh, Glenda Jackson, Francesca Annis, Judith Anderson, Judi Dench e Keeley Hawes. Jeanette Nolan personificou Lady Macbeth na adaptação cinematográfica de Orson Welles em 1948. Ana Paula Arósio em 2015 .


A Floresta que se move.

SINOPSE

Elias é um bem sucedido executivo que trabalha no segundo maior banco privado do Brasil. Ele teve todas as oportunidades de sua vida profissional dadas pelo presidente do banco, Heitor.  Um dia, Elias encontra, na frente do banco, uma flautista – uma mulher misteriosa que se diz capaz de prever seu futuro e diz que ele se tornará vicepresidente naquele mesmo dia e que, no dia seguinte, ele se tornará presidente do banco.

Elias fica muito impressionado e conta a história à Clara, sua linda e poderosa esposa.  Clara, instigada pelas previsões, sugere que seu marido convide Heitor para jantar em casa naquela noite.

A roda da fortuna é fatalmente ativada e uma sequência de assassinatos é perpetrada pelo casal, deixando um rastro de sangue em seu caminho para o poder e tornando-os algozes e vítimas de seus próprios destinos.



O filme de Vinicius Coimbra – diretor de A Hora e a Vez de Augusto Matraga, vencedor do Melhor Filme pelo Júri Popular e Oficial do Festival do Rio 2011-, é livremente inspirado na tragédia Macbeth, de William Shakespeare. Além da direção, Vinicius também é responsável pelo roteiro, em parceria com Manuela Dias. A produção é da EH! Filmes, em co-produção com a Globo Flimes.

Lançamento comercial previsto para outubro de 2015.


video
 Vídeo: Fantástico - TV GLOBO - Sempre a serviço da comunidade - 12/10/2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.