Bem Vindo

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Linfoma - Sistema Linfático



O sistema linfático é composto por órgãos, vasos e tecidos linfáticos e pelos linfonodos (popularmente conhecidos como ínguas), que se distribuem em posições estratégicas do corpo para ajudar a defendê-lo de infecções. Esse sistema produz e transporta os glóbulos brancos, células que combatem as infecções e participam do sistema de defesa do organismo.
O linfoma ocorre quando uma célula normal do sistema linfático se transforma, cresce sem parar e se dissemina pelo organismo.
Os diversos tipos de linfomas têm comportamento e grau de agressividade diversos. Eles podem ser divididos em dois grandes grupos: linfoma de Hodgkin e linfoma de não-Hodgkin. Os primeiros ocorrem em um tipo de célula linfoide conhecido como célula de Reed-Sternberge; os segundos são mais comuns e podem surgir em outras células do sistema linfático.

Causas e Diagnóstico

Alguns linfomas estão relacionados a infecções crônicas, que podem predispor à mutação das células linfáticas. Outros podem ocorrer devido a fatores ambientais, como a exposição a produtos químicos. Na maioria dos casos, no entanto, não há causa definida, mas os linfomas ocorrem mais em idosos.
O primeiro sinal do linfoma é a presença de linfonodos (ínguas) mesmo quando não há nenhuma infecção. Nesse caso, os glóbulos brancos proliferam desordenadamente, gerando o crescimento anormal dos linfonodos. Em geral, os linfonodos infecciosos são dolorosos, ao contrário daqueles presentes nos linfomas.
Quando isso acontece, o paciente deve ser submetido a uma biopsia do gânglio alterado, que será analisada por um patologista. Feito o diagnóstico, o próximo passo é o estadimento, para identificar outras áreas possivelmente acometidas pelo câncer. Também são pedidos exames de imagem para auxiliar no diagnóstico.


O tratamento mais usado é a quimioterapia, complementada, em alguns casos, com a radioterapia. A quimioterapia é mais eficaz no linfoma do que nos demais tumores sólidos, como câncer de pulmão e de intestino.
Os anticorpos monoclonais, proteínas presentes no sistema de defesa do organismo alteradas em laboratório, também podem ser utilizados no tratamento associados à quimioterapia.
 Fonte:http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/cancer/linfoma/

video
Video: Bom Dia Ceará - TV Verdes Mares - Sempre Informando a Comunidade.
Entrevista : Drª Paola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.