Bem Vindo

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Logística Reversa - William Rathje



História do CLRB - Conselho de Logística Reversa do Brasil

As quantidades de novos e diversificados produtos lançados no mercado crescem excepcionalmente na sociedade moderna, tornando-se impossível ignorar atualmente as conseqüências empresariais e ambientais provocadas por estes acúmulos. As condições de competição nos mercados atuais exigem maior atenção aos aspectos relacionados a sustentabilidade econômica, ambiental e social. Empresas de diversificados setores procuram o equacionamento do retorno de quantidades também crescentes de produtos usados ou ainda não consumidos através da Logística Reversa.
O CLRB nasceu no ano de 2008 por sugestão de empresas atuando no Brasil, profissionais e acadêmicos, com interesse em incrementar o conhecimento nos diversos segmentos da Logística Reversa, melhorar suas práticas operacionais compartilhando e contribuindo com sua difusão, capacitação profissional e soluções em nosso país, propiciando network empresarial especializado.
Seu idealizador e fundador, Prof. Eng.º Paulo Roberto Leite, com experiência como executivo em empresas multinacionais, empresário industrial, comercial e no ensino superior, desenvolve e difunde os conceitos e práticas de Logística Reversa desde 1997 no Brasil. Tem publicado suas pesquisas em inúmeros artigos acadêmicos e em revistas especializadas no Brasil e no exterior. Em 2003 publicou o primeiro livro da América Latina sobre esta área, e um dos primeiros na biblioteca mundial: “Logística Reversa - Meio Ambiente e Competitividade”, sob o selo Prentice Hall, uma referência bibliográfica nacional e internacional.
Em vista dos novos paradigmas competitivos empresariais de competir, colaborar e inovar ao mesmo tempo, o CLRB tem por missão desenvolver negócios, práticas e conhecimentos em Logística Reversa visando difundi-las melhorando a competitividade das empresas. 


 A logística reversa, [1], é a área da logística que trata, genericamente, do fluxo físico de produtos, embalagens ou outros materiais, desde o ponto de consumo até ao local de origem. (Dias, 2005, p. 205). Os processos de logística inversa existem há tempos; entretanto, não eram tratados e denominados como tal. Como exemplos de logística inversa, temos: o retorno das garrafas (vasilhame),a recolha / coleta de lixos e resíduos recicláveis. Atualmente é uma preocupação constante para todas as empresas e organizações públicas e privadas, tendo quatro grandes pilares de sustentação: a conscientização dos problemas ambientais;a sobre-lotação dos aterros; a escassez de matérias-primas; as políticas e a legislação ambiental.
A logística inversa aborda a questão da recuperação de produtos, parte de produtos, embalagens, materiais, de entre outros, desde o ponto de consumo até ao local de origem ou de deposição em local seguro, com o menor risco ambiental possível. Assim, a logística inversa trata de um tema bastante sensível e muito oportuno, em que o desenvolvimento sustentável e as politícas ambientais são temas de relevo na atualidade


video
 Video: Globo Ecologia - TV GLOBO - Sempre Informando a Comunidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.